Escolha uma Página
Político brasileiro, filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT). Professor de História e doutorando no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Foi Deputado Federal, Deputado Estadual e Secretário de Transportes de São Paulo.

FAMÍLIA

 

Jilmar Tatto é o nono de uma família de dez filhos. Seu pai, Jácomo, era agricultor no Paraná e foi para São Paulo em 1978, onde trabalhou como pedreiro e empacotador de livros. Sua mãe, Inês, também agricultora, cuidava da casa e levava Jilmar e seus irmãos para a igreja todos os domingos.

INFÂNCIA E JUVENTUDE

 

Sua infância se deu em uma realidade social precária, assim como era, e ainda é, a vida de milhões de brasileiros que moram no interior do país. Junto com seus irmãos, Jilmar iniciou sua participação em encontros de grupos de jovens nas Comunidades Eclesiais de Base da Igreja Católica, principalmente na periferia da Capital.
Sua liderança nata fez com que se tornasse um dos coordenadores da Pastoral da Juventude na região de Santo Amaro, atualmente Diocese. Nesse período, tomou contato com aquela realidade socioeconômica e se engajou em diversas iniciativas por melhores condições de vida para a população.
Participou ativamente dos movimentos contra a carestia, por moradia, transporte, saúde e educação de qualidade. Ajudou a organizar ações de solidariedade ao povo do Araguaia e a Dom Pedro Casaldáliga, bispo daquela Prelazia, e aos agricultores sem-terra de Ronda Alta – RS. Também colaborou na formação de comitês de apoio aos trabalhadores em greve no ABC Paulista e do Comitê Santo Dias da Silva (operário assassinado em 30/10/1979).
Tudo isso favoreceu a curiosidade e o estímulo pela política, que vinha passando por mudanças com o fim da ditadura. O Partido dos Trabalhadores, recém-fundado, foi escolhido por Jilmar para exercer sua militância. Ajudou na formação e consolidação do PT através do trabalho de base, vindo a fundar o núcleo do Jardim das Imbuias, na Capela do Socorro, Zona Sul de São Paulo.
Em meados dos anos 80, tornou-se membro da direção partidária na Capela do Socorro e, a seguir, membro da direção estadual. Conciliou sua militância política com os estudos e participou da União Estadual de Estudantes e de diversos congressos da União Nacional dos Estudantes. Formou-se em História e cursou Direito até o segundo ano. Exerceu o magistério em escolas públicas da Capital.

FORMAÇÃO ACADÊMICA

 

Jilmar Tatto é doutorando no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). É Mestre em Ciências pela própria USP. Possui graduação em História pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Moema (1987) e curso de Direito (incompleto) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

CASAMENTO E FILHOS

Casado há 25 anos com Adli Osman Tatto, Jilmar tem 2 filhos, Fernanda, de 21 anos, estudante do último ano de Direito, e Cezar, de 19 anos, estudante de Engenharia.

CARREIRA
POLÍTICA

Em 1990, foi candidato a deputado estadual e obteve a quarta suplência. Assumiu o mandato no final da legislatura. Em 1995, tornou-se presidente municipal do PT de São Paulo. Integrou a direção nacional do partido, em 1997.

DEPUTADO ESTADUAL

Jilmar se elegeu deputado estadual em 1998, sendo o segundo candidato mais votado da bancada do PT, com quase 52 mil votos. Foi um deputado estadual participante e combativo, apresentando diversos projetos e requerimentos em defesa dos interesses da classe trabalhadora.

SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ABASTECIMENTO

No final do ano 2000, quando Marta Suplicy foi eleita prefeita de São Paulo, Tatto foi convidado a integrar sua equipe de governo. Em janeiro de 2001, iniciou sua atividade como secretário municipal de Abastecimento.

Implantou, num curto espaço de tempo, uma alimentação adequada para os estudantes de toda a rede municipal de ensino, conhecido como Almoço e Janta. Conseguiu reduzir os valores dos contratos de fornecimento de leite para o programa Leve Leite, que se encontravam superfaturados, alcançando uma economia de R$ 22 milhões por ano. Também criou o Banco de Alimentos e reestruturou as feiras livres. Iniciou o processo de recuperação e modernização do mercado municipal. Foi responsável pela criação do Conselho Municipal de Alimentação e Nutrição. Em sua gestão, houve redução dos preços dos alimentos nos chamados “sacolões da Prefeitura”.

SECRETÁRIO DA IMPLEMENTAÇÃO DAS SUBPREFEITURAS

Pelo êxito que obteve no seu trabalho na secretaria de Abastecimento, foi chamado para ser secretário da Implementação das subprefeituras (09/01/2002). Foi na sua gestão que a antiga divisão em administrações regionais, criada em 1965, foi substituída pelas 31 subprefeituras organizadas em distritos com a aprovação da Lei nº 13.399/2002.  Nesse  processo houve audiências públicas, debates e reuniões com organizações e lideranças da sociedade civil. Atuou para dar um novo dinamismo à administração da cidade; tornou permanente a limpeza e a manutenção de praças e canteiros públicos; criou as praças de atendimento e um sistema de fiscalização eletrônica que inibiu a corrupção na administração pública municipal.

SECRETÁRIO DE TRANSPORTES

Vencido o desafio de aproximar a administração da população, Jilmar passou a enfrentar o caos no sistema de mobilidade como secretário da pasta (25/11/2002). Nessa árdua tarefa, priorizou o transporte coletivo de qualidade e combateu a chamada “máfia dos transportes”. Sua ação resultou na implantação do sistema integrado de transporte na cidade.

Devido à sua determinação, foram realizadas as maiores concessão e permissão de transporte público urbano do país, com a efetivação dos sistemas estrutural (empresas de ônibus) e local (cooperativas de micro-ônibus), o que levou à legalização do serviço e à retirada de empresas “laranjas”.

As linhas de ônibus foram reordenadas e os passageiros passaram a usar o Bilhete Único (sistema de bilhetagem eletrônica), que permitiu pagar apenas o valor de uma passagem, por um período de duas horas, para a realização de várias viagens. Ainda como secretário de Transportes, implantou 200 km de corredores de ônibus, 10 novos terminais e outros 20 foram projetados. Na época, ocorreu o maior índice de compra de novos veículos para o serviço.

Na mais recente gestão municipal do PT, com o prefeito Fernando Haddad, Jilmar Tatto permaneceu quatro anos à frente dos Transportes. Além de incrementar a utilização do Bilhete Único, com as versões mensal, semanal e diária, fez 400 km de ciclovias e 430 km de faixas exclusivas de ônibus.

Essas iniciativas garantiram confiança, segurança e rapidez na mobilidade paulistana. Além de servir de referência nacional e internacional, projetaram São Paulo para o futuro na questão da modernidade das intervenções administrativas.

Houve, ainda, as novidades das linhas de ônibus noturnas, que garantiram o fucionamento do serviço por 24 horas; as faixas de pedestres para travessia em diagonal nos grandes cruzamentos, que são mais seguras; as “lombofaixas”, que obrigam os veículos a diminuir a velocidade para a passagem dos transeuntes; e as “Frente Segura”, um espaço de parada para motocicletas adiante dos outros veículos junto aos semáforos.

DEPUTADO FEDERAL

Em 2010, Jilmar se reelegeu deputado federal, obtendo a segunda votação entre os deputados petistas no estado e a melhor votação na Capital, alcançando 250 mil votos. Nesse segundo mandato, se destacou como líder da bancada petista e presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio, que analisou a MP 579/12 (redução das tarifas de energia elétrica) no ano de 2012.

Rua Abolição, 297
Bela Vista - São Paulo - SP
Fone: +55 11 2103-1313
contato@jilmartatto.com.br