Jilmar Tatto participou, nesta segunda-feira (6), de um bate papo ao vivo com Hélio Rodrigues, presidente do Sindicato dos Químicos de São Paulo, quando respondeu a perguntas de internautas, falou sobre a crise do coronavírus e também sobre eleições de 2020.

Jilmar falou sobre a total inoperância, irresponsabilidade e inatividade de Bolsonaro em meio à pandemia e comentou a mais recente crise diplomática com a China, país essencial comercialmente e também na ajuda de materiais básicos para salvar vidas e que estão escassos no Brasil. “Enquanto a China tem uma indústria fortíssima de materiais de combate ao corona, o Brasil faz o quê? O filho do presidente causa uma crise diplomática via twitter e o ministro da Educação comete racismo contra os chineses”, comentou o dirigente nacional do PT.

Ele se referiu à segunda crise criada neste final de semana pelo Ministro da Educação de Bolsonaro que cometeu racismo contra os chineses e gerou uma resposta imediata do governo da China. Além da questão diplomática e da ajuda que o Brasil vai abrindo mão quanto a equipamentos e expertise no enfrentamento da pandemia, Tatto também falou sobre a inversão de prioridades nas relações internacionais.

“Eles ficam lambendo botas do Trump, mas EUA desviou o navio de máscaras da China que era nosso para eles. O agronegócio não está feliz também, porque a China agora compra soja dos americanos”. A soja é o principal produto brasileiro exportado pra China. Em 2019, o Brasil faturou US$ 20,5 bi, mas agora o país anunciou que irá priorizar a compra dos americanos.

A ausência do estado e o papel do PT

 

Jilmar Tatto, que participou na manhã desta segunda-feira (6) de uma reunião virtual com o ex-presidente Lula, comentou a falta que faz um estadista em um momento de pandemia como o que o Brasil vive hoje. “Estava hoje conversando com Lula por vídeo. Imagina se tivéssemos um presidente como ele? Já teria chamado todo setor empresarial, movimentos sociais, comunidade científica para debater dia a dia medidas para o país”.

De acordo com Tatto, ele tem conversado com governadores, como o do Piauí, Wellinton Dias, que tem reclamado do total abandono dos estados pelo governo federal. Claramente, Bolsonaro prefere manter a linha ideológica olavista de polarizar com os governadores, com destaque para os do Nordeste, do que resolver o problema do povo. “Conversei com o governador do Piauí, Wellinton Dias, e ele contou que o governo federal não está ajudando em nada o estado, nem com recursos, nem com qualquer tipo de suporte. Essa situação deve estar se repetindo em todo país”.

Tatto aproveitou para lembrar que até agora o governo não liberou o pagamento da renda mínima – medida proposta pelo PT e pela oposição para garantir renda aos informais e desempregados – e que se limitou a apresentar medidas para aumentar o desemprego no país.

“Em um país com 12 milhões de desempregados e 50% dos que trabalham na informalidade, Bolsonaro vai e edita a MP da Morte que libera as demissões e joga a responsabilidade para o seguro desemprego. Por outro lado, o PT, a oposição e o Congresso que se preocupam com o povo brasileiro. (…) Para o PT momento agora é de cuidar do povo, cobrar de todas as esferas uma atuação de forma coordenada e que cada centavo seja gasto diretamente com o povo e injetado na economia”

Questionado sobre as medidas que tem sido tomadas em São Paulo, Jilmar destacou a demora na atuação de proteção aos 25 mil moradores de rua, a redução drástica no número de ônibus circulando – o que aumenta a superlotação, as subnotificações. Ele aproveitou para lembrar que, alem dos hospitais de campanha, a prefeitura poderia aproveitar o momento para tirar uma das principais demandas dos moradores da capital: a abertura do Hospital Sorocabana, na Lapa.

“Acho que esse momento é o ideal para que a prefeitura abra o Hospital Sorocabana. Estamos em um momento de flexibilização nas leis que poderia ser aproveitada pela prefeitura e encampar esse hospital”. Jilmar aproveitou para homenagear os agentes de saúde e lembrar que toda sociedade deve pressionar o estado e os municípios a disponibilizar os EPIs. “Deixo aqui minha homenagem a todos profissionais da área de saúde. Existe uma falta brutal de EPIs (equipamentos de proteção individual) e precisamos pressionar a prefeitura e o estado para que resolvam isso”, declarou em resposta à uma pergunta de um internauta sobre a falta de equipamentos na capital paulista.

Eleições

 

“Nós da Direção Nacional do PT não achamos que esse seja o melhor momento para discutir assuntos eleitorais. Povo está com fome, sem emprego, vivendo uma crise absurda. Não é hora de discutirmos eleições, mas pensar nas pessoas”, afirmou Jilmar, que segue um dos pré-candidatos do PT à prefeitura de São Paulo.

“Sou favorável que tenha eleição, mas temos que priorizar o povo nesse momento e o que precisa ser feito para as pessoas. Pode ser que prorroguem os mandatos e, depois que isso passar, vamos organizar e discutir o processo eleitoral. Temos muito a falar com o povo”, finalizou.

Assista o bate papo na íntegra:

 

#AoVivo – Bate papo com Hélio Rodrigues

Como o covid 19 esta impactando a vida da população? Conversamos agora!

Posted by Jilmar Tatto on Monday, April 6, 2020

FacebookTwitterEmailWhatsAppFacebook Messenger