Na noite desta quarta-feira (15), a TV 247 realizou um debate, intermediado por William de Lucca, sobre os impactos da crise do coronavírus no estado de São Paulo e capital. Epicentro da crise, dados da secretaria Estadual de Saúde apontam que até a tarde de quarta o número de infectados 9.371 e 695 óbitos. Ao menos 183 municípios já contabilizam mortos pela pandemia e, claro, o foco é a própria capital.

“Ainda nem chegamos ao ápice da curva e os hospitais e enfermarias já estão no limite. Temos mais de dois mil leitos já ocupados. O hospital Emília Ribas, por exemplo, já está com 100% dos leitos de UTIs ocupados. O Hospital das Clínicas com 83%, e por aí vai. É urgente que a prefeitura e o governo criem mais hospitais de campanha, senão o sistema vai colapsar”, explicou Jilmar Tatto.

Reforçando o recado e a importância das pessoas ficarem em casa, respeitarem a quarentena, Jilmar lembrou que nem todas as pessoas têm essa possibilidade. A base que sustenta o país praticamente não pode ficar em casa, são pessoas que trabalham no transporte, na saúde, no setor de alimentação e segurança. Para esses, ele falou da importância de se cobrar de Doria e Bruno a distribuição gratuita de máscaras, álcool em gel, até mesmo de água e sabão, como no caso dos moradores de rua.

“É muito importante sempre destacarmos: fiquem em casa. Mas temos milhões que não tem essa possibilidade. Além de parte desses ter que trabalhar, existe outra população que mal mal consegue comer nessa pandemia. São os informais que não encontram trabalho mais, os moradores de rua, os mais pobres. Todos esses estão preocupados no que comer no dia seguinte e é por isso que esse presidente criminoso, que é o Bolsonaro, tem q ser cobrado para que pague a renda mínima. Paga logo, Bolsonaro”, declarou Tatto, mencionando o projeto apresentado pelo PT e oposição que garante a renda mínima nesse período.

Retirada de Direitos

Jilmar também falou sobre a aprovação, na surdina, da Carteira Verde e Amarela, mais uma proposta apoiada por Bolsonaro, seus aliados que literalmente retirou mais direitos dos trabalhadores e trabalhadoras brasileiras justamente nesse período. “Em meio à pandemia o Congresso aprova a MP 905, conhecida como Carteira Verde e Amarela, mais uma reforma trabalhista que acaba com 13°, taxa salário do empregado, permite que o patrão demita pessoa com salário maior pra contratar menor”, denunciou.

E finalizou o programa com um recado: “Agora é hora de criar rede de solidariedade, dos partidos de esquerda pensarem formas de ajudar as pessoas – como foi com a renda mínima, de ajudarmos o próximo, ficar em casa e, principalmente, cobrar o Bolsonaro, o Doria e o Bruno para que façam aquilo que precisam fazer: proteger o povo brasileiro”.

Assista a íntegra do programa:

Epicentro do coronavírus sofre – entrevista com Jilmar Tatto

Epicentro do coronavírus sofre – entrevista com Isa Penna, Leci Brandão e Jilmar Tatto.

Posted by Jilmar Tatto on Wednesday, April 15, 2020

FacebookTwitterEmailWhatsAppFacebook Messenger