Jilmar Tatto foi o convidado desta quinta-feira (25) da série de entrevistas realizada pelo Portal IG com pré-candidatos a prefeito de São Paulo. O petista falou sobre como pretende recolocar a maior cidade do país nos trilhos, criticou a gestão desumana dos tucanos Doria e Bruno Covas e reiterou para quem pretende governar: “meu foco será na população que vive nas periferias”

Confira os principais trechos:

Por que PT?

Os grandes benefícios tiveram o dedo do PT. O Bilhete Único, CEUs, plano diretor, renegociação da dívida, os hospitais. Naquela última eleição municipal estava muito difícil porque houve o golpe contra a Dilma, havia também as pautas bombas do Congresso. Tudo estava muito dividido.

Mas recuperamos isso. Tiraram o Lula, Haddad saiu candidato, foi para o segundo turno, fizemos a maior bancada em 2018, quatro governadores. Então, o PT está se recuperando.

A gente percebe pelo aumento da desigualdade, a retirada de benefícios, acabaram com o Passe Livre dos estudantes…o contexto agora é outro e estamos bastante otimistas.

Doria e Covas

Ele mentiu para o seu eleitor e para toda a cidade de São Paulo. Ele só pensa nele. Doria e Bruno Covas estão batendo cabeça no combate à pandemia. Mas mesmo assim prezo por uma relação respeitosa com os governos do Estado e municipal.

A cidade quer o que é dela então temos que lutar por isso.

Pandemia e descaso

Eu quero criar uma rede de proteção social em São Paulo, principalmente com o aumento da desigualdade neste momento.

O Renda Básica da Cidadania deveria ser implantado agora. É o que eu faria. O caixa da Prefeitura é de 18 bilhões que foram aplicados em bancos.

Eu quero instituir de forma e gradual a tarifa zero no transporte. Já fizemos isso com os estudantes e o Doria (quando prefeito) acabou com o benefício.

Política elitista

Quem está sendo contaminado é justamente a população mais pobre da cidade. Estão batendo de contágio recordes nas periferias e nós não vemos uma ação coordenada entre prefeito e governador. Estamos em estado de guerra. Tem que ser instalado um comitê de guerra, com secretários, prefeito, empresários, representantes da sociedade civil.

É isso que chamo de política elitista. Quem está sendo contaminado são os negros e pobres. O rico ele se protege. Tem espaço dentro de casa. Se for contaminado ele tem um leito separado.

O vírus não escolhe cor ou classe social, mas é visível quem são as principais vítimas.

Tarifa zero é utopia?

O projeto seria implantado de fora gradual. Começa de madrugada, estudantes, desempregados e assim sucessivamente. As pessoas migraram do transporte público para o individual. Temos que criar políticas de migração para o transporte público.

A Tarifa Zero é possível de forma progressiva e com fonte de financiamento. Para se ter ideia, a prefeitura arrecadou 220 milhões de reais com aplicativos, podemos usar o Fundurb. Então, para recuperar o usuário de transporte público tem que se criar políticas para isso.

Diálogo com outros partidos

O PT sempre fez alianças. A história do partido é formada por diálogo nestes 40 anos. Temos exemplo no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Sul.

Mas a opinião do partido é que tenha candidato em todas as capitais. O PT já governou a cidade por três vezes, tem uma capilaridade enorme na periferia, vereadores, deputados, tem relação com sindicatos, movimentos sociais.

Então o PT sempre se colocou com candidatura própria aqui. Mas isso não impede de dialogar com outros partidos. O importante é derrubar quem está no governo hoje.

Frente Ampla

Em relação ao combate ao fascismo nós estamos juntos. Mas a democracia para nós tem conteúdo. Não é uma palavra vazia. São duas paralelas. Uma é do combate ao fascismo, mas se pegar o Bolsodoria, na hora de tirar direito, nós não estamos juntos.

Lutamos para que as pessoas tenham direitos, emprego. Isso tem que estar junto. Não queremos uma saída por cima. Queremos que a qualidade de vida melhore. Por isso que a gente não pode se confundir neste momento.

Zeladoria

Na gestão do Haddad, ele triplicou a coleta de recicláveis. Criou ecopontos. Teve uma ação muito forte em reação a isso.

A minha proposta é primeiro rever os contratos para ver como está em funcionamento isso.

Depois quero uma ação agresssiva em relação a reciclagem. Uma maneira de gerar empregos é incentivar também o trabalho dessas cooperativas de coleta.

Também precisamos criar mais parques, não privatizar. Temos que fazer a microdrenagem, proteger os mananciais, investir em corredores de ônibus e transportes ativos como bicicleta.

População de rua

É inadmissível a cidade de São Paulo ter 25 mil pessoas morando nas ruas. A Renda Básica começaria com eles. Também é preciso criar mais abrigos, assistentes sociais.

Não podemos aceitar como normal essas pessoas morarem nas ruas.

Tolerância e inclusão LGBT

São Paulo tem que ser a cidade dos mil povos, da tolerância, da comunidade LGBT.

Sobre a população LGBTQI+, o PT criou o Transcidadania (Programa promove a reintegração social e o resgate da cidadania para travestis, mulheres transexuais e homens trans em situação de vulnerabilidade).

É um proposta que eu quero voltar com ainda mais força. Tenho uma reunião com representantes dessa comunidade. Estamos fazendo um programa de governo específico para esta população com pontos específicos como emprego, área da saúde. Vamos cuidar com carinho essa questão para que a cidade seja mais tolerante.

Redução de velocidade

Diminuímos em 35% o número de acidentes com a redução de velocidade. Vidas para nós sempre importou.

O aumento da velocidade feito pelo governo tucano fez com que no mês seguinte aumentasse o número de mortes nas marginais. Também mostrávamos todas as informações. Agora não há mais.

Economia solidária

A minha ideia é fazer com que as pessoas gastem o dinheiro dos benefícios como Renda Básica no próprio bairro. Isso você salva os pequenos comerciantes.

Nós não vamos ter a médio prazo uma política de crescimento e geração de empregos. Quando eu falo de ações de economia solidária é sempre na geração de emprego.

Da Redação

CAMPANHA PREFEITO: JILMAR TATTO E VICE: ZARATTINI - PT
CNPJ: 38.639.000/0001-09

FacebookTwitterEmailFacebook Messenger