Os problemas agravados pela pandemia do coronavírus se ramificam para todas as áreas – com maior ou menor grau de impacto. Mas é consenso que a crise obrigará uma cidade com o tamanho de São Paulo a repensar a sua política urbanística.

Essa ruptura, que tem a mão da má gestão municipal, terá de ser planejada desde já para que a situação não fique irreversível. Foi pensando nisso que o pré-candidato do PT a prefeito, Jilmar Tatto, conversou nesta quarta (5) com o urbanista e ex-secretário de Cultura da gestão Haddad, Nabil Bonduki, para pensar em propostas para o cenário pós-pandemia.

Especialista em planejamento urbano, Bonduki chama atenção para a questão urgente da moradia e infraestrutura. “O problema é muito amplo, abrange cortiços, favelas, pessoas em situações de rua e também tem a questão da falta de saneamento básico. Como você vai cobrar que as pessoas fiquem em casa e lavem as mãos se nem água elas têm?”, questiona.

Já Tatto lembra de como, em situações como essa, é importante pensar em medidas criativas. “As pessoas me criticavam por ser muito voluntarioso quando era secretário. Mas tinha planejamento e eu sabia que era possível consolidar mudanças. Na questão da moradia, por exemplo, é possível fazer um programa arrojado, que tenha como meta repensar o uso de terras e a utilidade de prédios e imóveis abandonados. A cidade tem pressa em resolver essa situação”, avalia.

Veja a live completa: 

Da Redação 

CAMPANHA PREFEITO: JILMAR TATTO E VICE: ZARATTINI - PT
CNPJ: 38.639.000/0001-09

FacebookTwitterEmailFacebook Messenger