Eleito à sombra de Jair Bolsonaro, que chegou à presidência impulsionado pela indústria das fake news,  João Doria não cansa de mostrar a que veio. O empresário, que carregou o discurso da renovação política quando chegou à Prefeitura de São Paulo mas logo abandonou o barco, tem novamente enganado a população, agora como governador do Estado.

“O Doria, que mentiu para o povo e fugiu da prefeitura, está acabando com estado ao entregá-lo à iniciativa privada. Até com o CDHU, empresa essencial para a cidade, ele quer entregar, justamente num momento em queque as pessoas estão voltando para as ruas pela crise imposta pelo coronavírus”, criticou o pré-candidato do PT a prefeito de SP, Jilmar Tatto, em entrevista concedida nesta quinta-feira (20) às radios Band e Band News FM.

O Doria, que mentiu para o povo e fugiu da prefeitura, está acabando com estado ao entregá-lo à iniciativa privada. Até com o CDHU, empresa essencial para a cidade, ele quer entregar, justamente num momento em queque as pessoas estão voltando para as ruas pela crise imposta pelo coronavírus, afirmou Tatto

Como se não bastasse os sucessivos erros cometidos pelo governador, a população da capital também tem sofrido com a má gestão do prefeito Bruno Covas. Para Tatto, a prova mais recente nefasta administração municipal está na insistência em manter o retorno do calendário escolar. “Não é só porque os pais, as mães e os professores não querem a volta, mas porque as autoridades de saúde dizem que é muito cedo e perigoso. É uma temeridade”, lamenta.

Questionado sobre o que faria diferente, o petista reafirmou: “Eu prepararia antes as escolas para isso. Faria um planejamento para fazer testes em todos os estudantes e profissionais da educação, mudaria a estrutura das escolas para que todos tivessem álcool em gel, para lavar as mãos, e criaria um novo plano pedagógico. Nem todos puderam manter os estudos durante essa paralisação. Mas isso não está acontecendo, a prefeitura não tem feito nada”.

Em que pese o fato de a atividade econômica ter sido impactada pela pandemia, prossegue o pré-candidato,  a cidade de São Paulo tem capacidade (e caixa) de sobra para se reinventar. “No último ano do Haddad, ele renegociou a dívida e a cidade economizou R$ 46 bilhões. Neste momento, a cidade tem R$ 18 bilhões em caixa e as crianças não estão recebendo nem alimentação nas escolas. Se não fosse a rede de solidariedade muitas pessoas estariam morrendo de fome.

Assista a entrevista na íntegra: 

Entrevista para a Band News FM

Jilmar Tatto, pré-candidato à prefeitura de São Paulo pelo Partido dos Trabalhadores, é o entrevistado da Rádio Band e Band News FM.

Posted by Jilmar Tatto on Thursday, August 20, 2020

Da Redação

CAMPANHA PREFEITO: JILMAR TATTO E VICE: ZARATTINI - PT
CNPJ: 38.639.000/0001-09

FacebookTwitterEmailFacebook Messenger