Antes de tudo, é preciso admitir: Doria e Covas estão se desdobrando como nunca para manter algum mínimo de credibilidade desde o início da pandemia. Mas o esforço narrativo já não cola e está cada vez mais claro que a gestão de ambos durante a crise tem acumulado muito mais erros do que acertos – raríssimos, quase nulos, se levarmos em conta o poderio econômico do estado e do município.

Ainda que os tucanos tentem atribuir as críticas ao campo da política, é inegável constatar que as medidas tomadas até agora – sobretudo na antecipação precoce da reabertura das atividades comerciais – contrariam todas as orientações sanitárias. E foi justamente neste ponto que se encontra o perigo, conforme constataram Jilmar Tatto e o ex-ministro da Saúde Arthur Chioro durante live realizada nesta sexta (24).

Para os petistas, ao desdenharem do que sugerem os especialistas, Doria e Covas se tornaram indefensáveis. “Quem está morrendo em SP é quem vive na periferia. Doria e Covas não observaram os padrões de contágio como fizeram países como Espanha, Alemanha e Portugal. Aqui foi o contrário: liberaram quando a pandemia estava em seu momento mais alto”, critica Chioro.

Tatto, que tem apontado publicamente os graves equívocos da dupla, completa: “Aqui em SP tem uma denúncia do sindicato dos professores e dos médicos estão cobrando a realização de testes. Mas nem isso eles estão conseguindo fazer. Nisso, Doria e Covas são exatamente igual ao Bolsonaro ao colocarem a vida da população em risco”.

É por isso que, prossegue o pré-candidato do PT a prefeito, tornou-se ainda mais urgente a criação do Renda Básica da Cidadania na cidade. “O renda básica não é assistencialismo. El faz com que toda uma rede de economia se movimente nos bairros e permita com que os pequenos comerciantes e produtores se recuperem depois da pandemia”, ilustra.

Ainda que insistam em atribuir o agravamento da desigualdade desde a confirmação da primeira morte por coronavírus, Doria e Covas não se livrarão da responsabilidade pela tragédia. “Principalmente o governador que tentou , em vão, esquivar-se da imagem desgastada de Bolonaro. Mas não funcionou. O Bolsodoria jamais será esquecido”.

Da Redação 

CAMPANHA PREFEITO: JILMAR TATTO E VICE: ZARATTINI - PT
CNPJ: 38.639.000/0001-09

FacebookTwitterEmailFacebook Messenger